Sim! Consultoria contábil é diferente de consultoria jurídica

Sim! Consultoria contábil é diferente de consultoria jurídica

consultoria contábil

Entenda as diferenças entre consultoria contábil e jurídica e como sua empresa pode se beneficiar da sinergia entre ambas.

Ganhando vantagem competitiva com a assessoria especializada e as diferenças entre a consultoria contábil e jurídica

Você sabe que a carga tributária brasileira ainda é uma das mais altas do mundo. Em meio a essa pesada imposição fiscal, as empresas acabam vendo seu faturamento ser corroído.

Isso dificulta o aquecimento da economia e o aumento da lucratividade dessas empresas, ainda mais em tempos de crise.

As empresas mais competitivas investem pesado em consultorias especializadas pois sabem que este é um ponto sensível de suas operações e isso pode representar o sucesso ou a derrocada do negócio.

 

O aumento da carga tributária no Brasil

Segundo publicação da Revista Exame em 2016, o Brasil era o país com maior carga tributária da América Latina.

E, de acordo com a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico – OCDE, os brasileiros pagavam 33,4% de seu PIB em impostos em 2016.

A carga tributária brasileira, portanto, só se compara à dos países mais desenvolvidos do mundo, o que demonstra a disparidade entre o montante arrecadado e o retorno para o contribuinte.

Nesse sentido, o IBPT – Instituto Brasileiro de Pesquisas Tributárias, apurou, em estudos no ano de 2015, que a carga tributária brasileira é comparável à dos 30 países com carga tributária mais alta, e isso levando-se em conta também o IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), ranking no qual o Brasil ficou em último lugar, atrás de Argentina e Uruguai.

O impacto negativo desses índices é visível em todos os setores, gerando fechamento em massa de empresas. A FIRJAN (Federação das Indústrias do Rio de Janeiro) apurou que, em 2015, cerca de 354.400 empresas foram extintas no Brasil, o maior número em 16 anos. Em contrapartida, o número de empresas abertas foi de 453.400 mil – número que não era tão pequeno desde 2002.

Os números apurados pela Receita Federal não são diferentes e demonstram o peso dos tributos no sistema produtivo brasileiro. O resultado foi de cargas tributárias pesadas, sendo de 6,3% no setor de agropecuária extrativa, 37% no comércio, 22,9% no setor de serviços e 47,4% no setor de indústria de transformação, conforme demonstrado no quadro comparativo abaixo:

consultoria-contabil

É notória a perda de competitividade das empresas em razão da alta carga tributária que nos é imposta, ainda mais considerando os tempos de crise financeira no país.

 

Planejar é a solução

Nesse contexto de crise econômica e de pesada tributação, para sobreviver, as empresas precisam contar com um bom planejamento tributárioque lhes proteja de uma carga tributária tão elevada e ainda, previna de pesadas sanções em decorrência das multas e juros elevados resultantes de autuações fiscais.

É claro que a autuação fiscal é um risco inerente ao exercício da atividade empresária. Mas ela pode ser evitada e o risco de ocorrência diminuído.

É que, a todo tempo, deve haver a regularização e escrituração dos livros contábeis, declaração de impostos, taxas, contribuições e o cumprimento de diversas regras fiscais. 

O cumprimento de tais obrigações, se desacompanhado do assessoramento de profissionais especializados, pode gerar a incidência de multas, que reduzem cada vez mais o poder competitivo da empresa.

 

Consultoria contábil e jurídica

Por isso, é essencial a atuação de uma consultoria contábil e também jurídica, com especialização na área tributária, com o objetivo de prevenção e solução de problemas dessa natureza.

Estas duas consultorias, atuando em sinergia, podem ser o diferencial entre a vida e a morte da empresa – e ambas são igualmente importantes.

No entanto, há grande diferença entre os dois tipos de serviços prestados, tanto no que diz respeito ao campo técnico abrangido como na forma como essas consultorias podem auxiliar.

 

Consultoria contábil

A consultoria contábil auxilia a empresa a se manter regular frente aos deveres fiscais, como a escrituração contábil, a emissão de notas fiscais, o auxílio na elaboração e envio das declarações de impostos aos municípios, etc.

Além disso, com base nos dados de Demonstrações Financeiras, ela auxilia o empresário a projetar o futuro, pensando matematicamente nas vantagens e desvantagens da operação.

O foco da consultoria contábil é muito maior nas áreas financeira, econômica e patrimonial da empresa, sendo que este ajuda o empresário a definir estratégias de negócio com base em números e projeções.

Além disso, a consultoria contábil auxilia o empresário a manter sua empresa em dia com as obrigações contábeis e fiscais exigidas em lei, de forma a evitar multas e outras penalidades.

 

E a consultoria jurídica?

A consultoria jurídica tributária auxilia também na prevenção de eventuais cobranças tributárias. Esse consultor irá orientar o empresário quanto ao regime tributário pelo qual deverá optar e como ser restituído de tributos pagos indevidamente, discutindo a legalidade da cobrança.

No entanto, o foco aqui é outro: a segurança jurídica das operações. O papel do consultor jurídico é prever riscos contratuais, tributários, trabalhistas (entre outros) e apontar soluções preventivas – além de atuar nos problemas quando eles ocorrem.

Ambos os tipos de consultoria tributária são relevantes, mas a consultoria jurídica tem um foco diferente e complementar: o apoio à estratégia de negócios se dá não somente a resolução de problemas como também a prevenção deles; a visão da consultoria contábil é maior no aspecto financeiro e econômico.

Ambas as consultorias são de grande importância para a empresa e auxiliam no planejamento das atividades, que é de suma importância para que a tomada de decisão dos gestores tenha impactos positivos sobre a empresa.

Logo, tendo em vista os custos e os riscos próprios da atividade empresarial, é possível notar que sobressaem no mercado as empresas que dedicam tempo e estudo para análise dos riscos de suas operações – sejam eles de natureza financeira ou jurídica.

Esperamos você tenha esclarecido suas principais dúvidas a respeito deste assunto e por isso separamos outros textos que talvez possam lhe interessar:


Gostou desse artigo? Receba as novidades mais recentes para reduzir seus riscos jurídicos informando seu email abaixo:

Para uma melhor experiência em nosso site,

por favor responda apenas a 2 perguntas:

Preencha o formulário abaixo para entrar em contato agora!